CRIMINALIDADE CONTINUA CAINDO EM SANTA LUZIA

Minas Gerais fechou o ano de 2009 com queda de 15% na taxa de crimes violentos em comparação com o ano anterior. É o sexto ano consecutivo em que há redução dos índices de criminalidade no Estado. Os dados são do Anuário de Informações Criminais de Minas Gerais referente a 2009, que acaba de ser concluído pelo Núcleo de Estudos em Segurança Pública  (Nesp) da Fundação João Pinheiro (FJP). O ano de 2008 registrou 29,04 ocorrências por 100 mil habitantes enquanto o registro do ano passado foi de 24,64 ocorrências.

A taxa de crimes violentos é calculada a partir das ocorrências feitas pela Polícia Militar e pela Divisão de Crimes Contra a Vida da Polícia Civil. O indicador é composto pela somatória dos registros de ocorrências de Homicídios Consumados, Homicídios Tentados, Estupros e Roubos. As taxas de homicídio e de crimes violentos contra a pessoa também vêm discriminadas no anuário e registraram quedas de 5,5% e 15,6%, respectivamente, em comparação com o ano de 2008. A taxa de Crime Violento contra a Pessoa, por sua vez, passou do patamar médio de 4,69 ocorrências por 100 mil habitantes, em 2008, para 3,96 em 2009.

 Na busca constante da manutenção na redução dos índices de criminalidade, o município de Santa Luzia, acompanha as estatísticas do Estado. Para se ter uma ideia, só nos últimos meses de Agosto e Setembro, a cidade alcançou uma redução média de 20% nos números de criminalidade. Os atos infracionais tiveram queda expressiva de mais de 55% em comparação com o mesmo período do ano passado.

 Para o secretário de Segurança, Trânsito e Transporte, Dr. Ricardo Ferreira, a união das forças de segurança do município foram determinantes para que os números continuassem caindo. “A presença ostensiva da Guarda Municipal, dos agentes de trânsito e de todos os membros das forças de segurança nas ruas, foram importantes para que conseguíssemos continuar a baixar os índices de criminalidade no município. A cooperação e a parceria das polícias Militar e Civil também são decisivas para esse trabalho”, afirmou o secretário.

Share

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.