MULHERES DA PAZ

Santa Luzia sai na frente em Minas, ao implantar na cidade um projeto do PRONASCI que atua na prevenção à violência

 Promovido pelo governo federal em parceria com os governos municipais, o Programa Nacional de Segurança Pública e Cidadania (PRONASCI) será executado em Santa Luzia através do projeto Mulheres da Paz, atuando na prevenção e enfrentamento à violência nas comunidades que apresentam alto índice de vulnerabilidade social.

 “O PRONASCI busca potencializar o trabalho de prevenção e enfrentamento buscando a participação da comunidade. E de acordo com nossos dados a juventude é o foco das ações, seja como vítima ou como agente da violência. Nesse sentido Santa Luzia já conta com o PROTEJO desde outubro de 2009, e agora com o projeto Mulheres da Paz vamos intensificar as ações em cinco regiões da cidade: Palmital, São Cosme, Industrial Americano, Baronesa e São Benedito. São 74 mulheres que atuarão como multiplicadoras nas regiões onde residem e receberão aulas sobre os temas relacionados a direitos humanos, acesso à justiça, relações de gênero, violência contra a mulher, entre ouros”; disse a secretária de desenvolvimento social, Suzane Almada.

 O secretário municipal de governo representando o prefeito de Santa Luzia, ressaltou os investimentos realizados em prol das ações sociais:

“Ano passado foi complicado para a administração executiva referente à arrecadação municipal. Mas mesmo com uma queda em torno dos 25%, o prefeito Gilberto Dorneles não deixou de investir nas ações sociais, e hoje contamos com 15 programas na cidade. Os programas são financiados pelos governos federal e estadual, mas tem toda a logística e aplicação gerida pelo executivo municipal”; destacou Vicente de Paula.

 Santa Luzia é a primeira cidade em Minas Gerais a executar os projetos Mulheres da Paz e Protejo, abrindo possibilidades para que ocorra uma mudança nos paradigmas da segurança pública.

“Contamos com uma equipe de dois psicólogos, dois cientistas sociais e um advogado no município, para operar junto com a prefeitura em toda logística do programa, além de oferecemos as Mulheres da Paz um curso de capacitação. Acreditamos que Santa Luzia vai gerar um modelo a ser repetido no restante do Estado”; afirmou Andréia Silveira, coordenadora de prevenção à violência do CRISP (Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da UFMG).

 “Santa Luzia sai na frente em executar os projetos do PRONASCI que o Ministério da Justiça tem como estruturantes. Quando falamos em mudanças de paradigmas, é porque tradicionalmente quando nos remetemos à segurança nos vem em mente construção de cadeias, policiamento e armamento. É claro que são ainda instrumentos importantíssimos dentro da realidade que vivemos, mas o PRONASCI quer dizer não mais, não somente, também. E hoje outros atores e o município estão sendo protagonistas nas ações de segurança pública”; disse Cristiano Tadeu, consultor e articulador político do núcleo de articulação do PRONASCI, representando o Ministério da Justiça.

 Além de assistirem a exibição de um vídeo referente ao processo seletivo das pessoas que integram o projeto Mulheres da Paz em Santa Luzia, os presentes ao auditório do Centro Administrativo na noite do último dia 11 de janeiro, também acompanharam a entrega simbólica das camisas do projeto para as cinco representantes dos bairros participantes; Ana Paula Silva Siqueira (Baronesa), Carmem Lucia Silva de Oliveira (Palmital), Juliane dos reis (São Benedito), Vânia Lucia Moreira (São Cosme), Verônica Inácia da Silva (Industrial Americano).

 “Eu me sinto muito feliz em poder ajudar a comunidade. Nós já temos certa experiência com as famílias, mas com a capacitação oferecida pelo projeto vamos poder ajudar de forma mais eficiente aos moradores”; afirmou Vânia Lúcia, representante do bairro São Cosme.

Share
6 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.