www.facebook.com/bolinhapneus

CÂMARA REPROVA CONTAS DO EX-PREFEITO GILBERTO DORNELES, REFERENTE AO EXERCÍCIO 2011.

Falta de informações e divergências nos percentuais geraram dúvidas entre os vereadores que mesmo assim reprovaram as contas de Dorneles

Durante a 40ª. Reunião Ordinária, ocorrida na terça,10, estiveram presentes quatorze dos dezessete vereadores. Ausências de Emília Alves, Luiza do Hospital e João Binga.

Em pauta, além de vários outros temas, a votação para aprovação ou reprovação das contas do ex-prefeito Gilberto Dorneles.

Depois de ser lido o parecer técnico emitido por uma empresa de consultoria, contratada pela Casa, os vereadores iniciaram a votação.

Os vereadores votariam NÃO – se discordassem do resultado emitido pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCMG).Vale lembrar que o TCMG reprovou as contas. E votariam SIM se fossem contra ao parecer do Tribunal.

Sete vereadores votaram NÃO (ou seja, foram contrários ao resultado emitido pelo TCMG que reprovou as contas de Dorneles) Foram eles: Ailton da Associação,  David Martins, Pastor LeandroLacy Dias, Raimundinho, Ticaca e Suzane Almada.

Outros cinco vereadores votaram SIM, ou seja, foram favoráveis à reprovação das contas do ex-prefeito. Foram eles: Márcio AdrianoCarlos Murta, Lau, Sandro Coelho e Gilberto Motorista.

O ex-prefeito esteve presente à reunião e chegou a usar a tribuna para pedir aos vereadores que o voto fosse técnico e não político. “Gostaria de pedir aos vereadores que coloquem as mãos na consciência e dessem um voto técnico e não político. Investi muito, principalmente na educação e saúde dessa cidade”, disse Dorneles.

Crédito: Luiz Fernando - Perfil Fotografias
Crédito: Luiz Fernando – Perfil Fotografias

Vários vereadores fizeram uso da palavra e fizeram críticas ao atual prefeito e também ao ex. Lacy Dias disparou: “Aqui mesmo, nessa Casa, votei contra as contas do então ex prefeito Calixto. Votei errado, porque a população colocou ele no poder novamente. O povo tem o governo que merece. Já se passaram doze meses e ainda não vi nada dessa administração”, disse.

GASTOS COM A EDUCAÇÃO

De acordo com a Constituição Federal, o município é obrigado a aplicar, no mínimo,  25% da receita na educação. De acordo com o parecer do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, o ex-prefeito Gilberto Dorneles teria aplicado apenas 22,67%. Já o FNDE – Fundo Nacional Desenvolvimento da Educação, o município de Santa Luzia aplicou em 2011, 29,45% – contrariando o percentual indicado pelo TCMG.

Crédito: Luiz Fernando – Perfil Fotografias
Share

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *